Pages

Monday, January 19, 2009

NEM SEMPRE SOU IGUAL


NEM SEMPRE SOU IGUAL

Nem sempre sou igual no que digo e escrevo.
Mudo, mas não mudo muito.
A cor das flores não é a mesma ao sol
De que quando uma nuvem passa
Ou quando entra a noite
E as flores são cor da sombra.

Mas quem olha bem vê que são as mesmas flores.
Por isso quando pareço não concordar comigo,

Reparem bem para mim:
Se estava virado para a direita,
Voltei-me agora para a esquerda,
Mas sou sempre eu, assente sobre os mesmos pés -
O mesmo sempre, graças ao céu e à terra
E aos meus olhos e ouvidos atentos
E à minha clara simplicidade de alma ...

Alberto Caeiro

Tenho saudades de mim... tenho saudades do que fui... que é feito do que eu era? bela

1 comment:

Polly said...

Às vezes me faço essa pergunta: "Onde estou agora, que não me encontro quando me procuro?" Mas, a vida parece ser essa eterna procura... Penso que procuramos eternamente aquela doçura da criança que a gente esqueceu por aí...

Obrigada pela visita ao meu blog! Estarei por aqui de quando em vez!
Beijo