Pages

Thursday, April 2, 2009

Infância perdida


"Compreendemos que o conceito de infância se está a perder quando entramos na nossa sala de estar e nos deparamos com as crianças todas "agarradas" aos seus portáteis pessoais. Pergunto eu, onde está a infância de brincadeiras saudáveis, de se brincar aos médicos, aos pais e mães? Estará isso tudo a perder-se neste avanço tecnológico que nos rouba a sensibilidade para sonhar? Será correcto nós adultos estarmos a permitir isto, não estaremos a criar uma geração que ainda vai ser mais "sisuda", mais egoísta? Daqui a pouco já nem se sabe brincar, conviver. Tenho medo do que isso significa. Não deveráimos incentivar outros valores, deixar as crianças ser crianças e não "mini adultos" que vivem enfiados dentro de quatro paredes isolados de todo o tipo de convivência saudável? As melhores recordações que tenho da minha infância é mesmo as brincadeiras, as gargalhadas que davamos, o constante vai e vém, que recordações irão ter estes miúdos? Ainda se estivessem realmente a tirar partido do que as novas tecnologias podem oferecer, mas não, passam literalmente o dia todo a jogar jogos que infelizmente nada contribuem para a sua educação e para a sua formação como futuros adultos. Eu mais que ninguém sou adepta de tecnologia, sem dúvida que facilita muito mais a vida a toda a gente, mas por favor deixem nossas crianças, ser crianças. Senão que será feito dos sonhos? bela"

8 comments:

acqua said...

eu acho que a tecnologia ajuda até certo ponto. Para tudo há limites. Não simpatizo com a idéia de ter crianças seus portáteis. Isso enibe a criatividade e deixa a pessoa limitada a esse universo. Não há mais crianças pelas ruas, pelas praças e parques. Estão lá, imóveis diante de jogos e sabe-se lá mais o que. Enfim, os pais preferem a certeza de um filho "cego" do que a incerteza de um mundo igualmente "cego".
Abraços daqui

' Josi Keller said...

Oii
Obrigada por seguir meu blog la
Significa muito pra mim
De verdade
Espero visitas suas la viu ? ;]
Beijaoo

.

' Josi Keller said...

Oii
Obrigada por seguir meu blog la
Significa muito pra mim
De verdade
Espero visitas suas la viu ? ;]
Beijaoo

.

Monique Frebell said...

Apoiado, Bela!

Essas criaturinhas já parecem gente grande mesmo... e o pior é que não sabemos onde elas vão parar...

bju!

Brown Eyes said...

Concordo plenamente contigo. Não imagino a minha vida se não tivesse tido as brincadeiras de infância e as histórias de encantar. Hoje as histórias são de violência (jogos tecnológicos), já não há respeito nem valores. As crianças são educadas de acordo com o presente e esquecendo o futuro. São habituadas a ter tudo e acabam por não dar valor a nada. Nós antigamente delirávamos com uma pequena lembrança e, ainda hoje, recordamos esses momentos. Vivemos numa sociedade de consumo e eles, que nasceram nela, não sabem, nem querem, fazer-lhe frente. Os pais têm que pensar na contribuição que dão para que os filhos tenham um futuro feliz. Está em jogo não só a felicidade como também a saúde dos mesmos.

ZaniNE said...

É verdade, as nossas crianças estão a tornar-se pequenos adultos, pelo menos no que diz a comportamentos... Mas o que mais me preocupa é que a geração que os critica é a responsável - por não os ensinar a brincar.

Vim retribuir a visita - obrigado - e ainda bem, gostei muito do teu blog! ;)

Beijoquinha.

Sophia said...

Que saudades de gritar: "Mãe, vou brincar pra rua!"
Sem dar horas... nem andar de telemóvel nos bolsos como os miúdos andam agora. De jogar às encondidas, à meia-noite, à apanhada e toda aquela série de jogos que marcavamos com o giz no alcatrão. Até mesmo de jogar ao berlinde, porque na minha geração, não haviam muitas meninas lá na rua... ;)

Anne said...

Concordo com todos estes comentários... acho que a tecnologia pade ser benéfica, quando as pessoas têm a capacidade para tirar proveito dela, não pegando em crianças que deviam estar a correr, sujar-se, saltar e brincar e enfiá-los em quators o dia inteiro só para nosso conforto...