Pages

Tuesday, May 5, 2009

Condessa de Ségur


Condessa de Ségur

Escritora francesa, de nome verdadeiro Sophie Rostopchine, nascida a 19 de Julho de 1799, em São Petersburgo, na Rússia, e falecida a 9 de Fevereiro de 1874, em Paris, na França. Filha do conde Rostopchine, ministro do czar e governador de Moscovo, passou a infância na propriedade de família em Voronovo, na Rússia. Em 1817, o pai de Sophie foi acusado de ter ordenado o ateamento de fogos em Moscovo para impedir o reabastecimento das tropas napoleónicas. A família teve de fugir e refugiou-se em França. Dois anos mais tarde, em 1819, Sophie casou com o Conde Eugène de Ségur e tornou-se Condessa de Ségur. Durante a viagem de núpcias viu um castelo em tijolo rosa, no campo, que o pai acabaria por lhe oferecer. Mudou-se com o marido para o campo, para Nouettes à Aube, mas este nunca se adaptou ao tipo de vida rural e passava grandes temporadas em Paris. O casal teve oito filhos, cinco dos quais nascidos em Nouettes à Aube. Quando chegaram as netas, a condessa passou muito do seu tempo a contar-lhes histórias. Depois, as netas Camille e Madeleine de Malavet foram viver para Londres, com o pai, e a Condessa de Ségur para ocupar o tempo passou a escrever as histórias que habitualmente lhes contava. Tornou-se escritora já depois dos 50 anos, altura em que começou a publicar os seus livros que fizeram bastante sucesso. Os romances tinham sempre a presença de crianças como protagonistas, o Bem vencia sempre o Mal, assim como era sempre possível corrigir os erros. Entre os seus livros mais conhecidos estão A Irmã do Inocente, A Pousada do Anjo da Guarda, Comédias e Provérbios, Memórias de um Burro, O Corcundinha, O Génio do Mal e Os Dois Patetas. Todas as suas obras, num total de mais de vinte romances, foram publicadas em França pela editora Hachette na colecção Biblioteca Rosa, dedicada aos jovens, especialmente às raparigas. A Condessa de Ségur morreu em 1874, em Paris, e, mais tarde, à escola de Aube foi dado o seu nome, como forma de homenagem.

Retirado daqui:
http://www.infopedia.pt/$condessa-de-segur


"Alguém daqui leu os livros da Condessa de Ségur? As melhores recordações da minha infância é de ler os seus livros... indescritível o prazer e alegria que me proporcionaram.... Tenho ideia de os ter lido todos, embora o da minha preferência seja "Os Desastres de Sofia" e as "Memórias de um Burro". Histórias que nos mostravam o lado bom e o lado mau das coisas. Acredito que o facto de ter lido estes livros quando era menina contribuiram imenso para a personalidade que formei. Nunca mais os esqueci. Aliás recomendo mesmo a quem tenha crianças a leitura destes livros. Livros que nos fazem andar nas nuvens.... bela"

4 comments:

Naja said...

Nem acredito!!!! Alguém que tenha lido estes livros. Também os li. Todos. O que mais gostei foi As meninas exemplares e a Menina insuportavel. Gostei também do Jardim Secreto, da mesma colecção...

Foi assim que cresci e apanhei o gosto da leitura. Bendita Enid Bliton também: Os 5, os /, as gémeas no colégio de Santa Clara...

Era um corropio para a biblioteca ambulante, à quarta-feira...

Que nostalgia...

Obrigada pela Viagem...

Deixo-te um endereço para alguns downloads: http://www.4shared.com/dir/158412/48351dcc/Infantis.html

beijos

pepita chocolate said...

As boas recordações que estes livros me trazem...Adorava-os!
Beijocas!

kel said...

Eu li este livro :D Nem queria acreditar quando o vi aqui!!! É bom recordar!!!

Laidita said...

Ah! Eu li quase todos os livros desta colecção quando era pequena. Adorava!