Pages

Friday, May 8, 2009

Falsos Moralismos

Hoje a modos que só me apetecia estar assim enroscadinha....

O cúmulo dos falsos moralismos é alguém vir para cima de mim com um "sermão" e nem sequer olhar para o seu próprio umbigo. Por mais boas intenções que tenham estou farta, fartinha que se metam na minha vida. Infelizmente meu Pai já partiu há algum tempo e não estou para levar com os pais dos outros a tentarem fazer o papel de Pai. Pai só tive um muito obrigada, e o lugar dele nunca será ocupado por ninguém. Muito menos por um "Pai" que não enxerga o que se passa dentro de suas portas, mesmo debaixo do seu nariz. E vem me falar a mim do valor da familia, da questão do divórcio e outras coisas assim... (tirem me deste filme, dei comigo a pensar enquanto o ouvia) Eu acho que já sou demasiado crescidinha para ter que estar a aturar isto. Fiz lo apenas por respeito, é meu Tio, mas não não admito que "meta o bedelho" onde não é chamado. Ninguém tem nada com a minha vida, quer decida ficar solteira, casada, amigada, divorciada, whatever, isso só me diz respeito a mim mesma. A teoria de que "tens que encontrar um bom rapaz que te faça feliz" bla bla bla.... estou farta. E se eu não quiser? Já alguém pensou nisso? não estou para levar com um "fulano" o resto da minha vida só para satisfazer a sociedade que me rodeia, pois no final quem vai ter mesmo que o aturar sou eu....

Desculpem mas hoje estou assim para o "azedo". Irrita me profundamente que os estereotipos que a nossa sociedade cria nos cataloguem segundo a vontade dos outros. Sim sou solteira, and so what???? Há tanta coisa nesta vida para além de ter marido, filhos e por aí adiante. Claro que faz parte dos meus planos, mas se não suceder não é o fim do mundo. Fim do mundo, isso sim, é a gente ter que levar com estas coisas, nesta altura da vida, quando já somos pessoas bem realizadas tanto emocionalmente como profissionalmente. Haja paciência... metam-se na vossa vida por mais bem intencionados que estejam. bela

5 comments:

Anne said...

é mesmo verdade, a sociedade tende a impingir, principalmente a nós mulheres, o papel secundário de esposa ou mãe. Apesar de eu o ser, tenho a completa noção de que o papel principal não é o ser mãe ou esposa mas ser eu própria, nunca desistindo de mim e dos meus sonhos e quereres... Na minha opinião acho que fazes muito bem em não aturares nenhum homem que te prendesse, julgasse, impedisse de seres quem verdadeiramente és, o que infelizmente é comum a quase todos os homens... Mas se algum dia quiseres partilhar a tua vida com alguém, por tua decisão, então força. É como dizes, só tu podes decidir o que fazer com a tua vida, seja aceite pela sociedade ou não... (manda a sociedade apanhar no traseiro, para não ser mais explícita... :D)

Poupinhas said...

Bela, Concordo com tudo o que dizes.. a mim tmabém me estão sempre a perguntar quando caso ou quando começo a namorar ou mesmo quando penso ter filhos.. verdade seja uma: embora esteja so porque ainda falat muita coisa para haver a tal história de amor, tenho outras prioridades.. mas a vida é mesmo assim: umas escolhas feitas por nós, outras feitas por outros..
Um beijinho e não ligues ao que te dizem :)*

Sin said...

sem palavras, escreves bem, e gostei :)

Blog do Óbvio said...

Não preciso escrever muito. Leia outra vez e com muita atenção a postagem ELOGIO AO AMOR PURO. Você encontrará a resposta para os FALSOS MORALISMOS. Deus às vezes coloca as respostas em nossa frente e nós não as usamos. Fique tranquila. Quem tem a ver com sua vida é você mesmo. Faça-o com muito amor. Beijocas. Manoel Eduardo - Brasil.

Gingerbread Girl said...

Ás vezes é tão, mas TÃO complicado... =(



*