Pages

Wednesday, September 2, 2009

O Menino de Cabul

"Após ver "O Menino de Cabul" (The Kite Runner) não posso deixar de pensar que mesmo nas amizades há sempre um dos lados que se entrega mais, que sente mais. É uma história que toca, já tinha lido o livro por isso não me surpreendeu, mas foi uma sensação estranha ver no ecrã tudo o que o livro me fez sentir. É que as palavras têm este dom, sabem, de nos marcar, de ficar intrinsecas nas nossas acções, nas nossas atitudes perante a vida... ás vezes um amigo pode trair-nos, talvez porque num dado momento se acorbadou, seus sentimentos ficaram ocultos por acções que porventura nos magoaram a nós. Mas na vida, temos que saber perdoar, temos que ter consiência de que nunca é tarde demais. Há sempre uma maneira de nos corrigirmos, de estender a mão a quem eventualmente um dia escondemos. Porque há valores mais importantes do que por vezes o nosso próprio bem estar, há actos que nos podem atormentar para toda uma vida... É isto que este filme/livro nos ensina. Que nunca é tarde demais para voltarmos atrás e fazer as pazes com o nosso passado. Porque em todos nós existe um "menino de cabul" cabe-nos a nós deixar que ele apareça. Bela"
P.S. Este post provavelmente só irá fazer sentido para quem leu o livro ou quem viu o filme. Mas também não vou adiantar muito quanto ao enredo dos mesmos. Leiam, vejam, é só o que vos posso dizer. Uma história de vida, um exemplo a seguir ( o livro é mais rico em detalhes sem dúvida, mas o filme está muito bem conseguido)...

6 comments:

PP_FANTASMA said...

Bom conselho!
Gostei deste canto, vou voltar:)

Moni said...

eu sei bem oq é isso q vc ta dizendo!!! bjks

Kotta said...

Não conheço o filme nem o livro.Aproveito para mandar um beijinho.

Kotta said...

Não conheço o filme nem o livro.Aproveito para mandar um beijinho.

Maria Anjos Varanda said...

é como dizes no inicio do post...
Há sempre um que dá mais que o outro....na amizade....no amor...e em tudo mais da vida.

Não li o livro nem vi o filme, mas deve ser bem interessante.....

Beijos

Anonymous said...

Ola Bela, nas relações pode existir um dos lados que sente mais, que quere mais, que ama mais e outro que nao seja tão expressivo que seja um pouco mais contido mas o que realmente interessa é que ambos se sintam confortaveis em relação ao que dão e o que recebem.

Gostei particularmente desta parte

"Mas na vida, temos que saber perdoar, temos que ter consiência de que nunca é tarde demais. Há sempre uma maneira de nos corrigirmos, de estender a mão a quem eventualmente um dia escondemos. Porque há valores mais importantes do que por vezes o nosso próprio bem estar, há actos que nos podem atormentar para toda uma vida..."
Eu acho que somos grandes pessoas quando perdoamos, porque também não é facil do outro lado admitir que esteve menos bem e vir pedir desculpas.Porque nós proprios gostariamos de ter uma nova oportunidade para fazer melhor, para construir algo de novo.
Sem duvida que à valores muito mais importantes do que o nosso bem estar, à que simplesmente deixar libertar o nosso egoismo para poder ver isso. Na verdade o nosso bem estar pode ser cultivado fazendo o bem aos que nos rodeiam.

Um abraço

Pedro Ferreira