Pages

Monday, October 12, 2009

Mudam se os tempos


"Ontem quando fui cumprir o meu dever cívico, decidi ir a pé. Não me apeteceu tirar o carro da garagem, optei então pela caminhada. Soube me bem. Engraçado há quanto tempo não fazia uma caminhada pelo centro da aldeia onde vivo. Rever os caminhos percorridos, rever as casas que guardava em minha memória. Verifiquei que os hábitos pouco mudaram, as pessoas continuam a sentar-se á porta de suas casas em amena conversa com seus vizinhos e com quem passa. Portas abertas, janelas abertas, chaves nas portas... um facilitismo nada caracteristico dos tempos em que vivemos, mas a noção de vizinhança também é diferente. As pessoas conhecem-se desde sempre. Confiam uns nos outros, zelam uns pelos outros. Na minha rua não tenho nada disso, praticamente passam se dias em que não vejo os meus vizinhos e se os vejo geralmente é quanto estou a sair ou a entrar. Notei que a população que mora no centro da aldeia, é uma população já mais envelhecida, não se vêm crianças a brincar na rua como era antigamente. Os tempos mudam, mudam também os hábitos, tudo muda,  mas há outras coisas que para sempre ficam... Bela"

2 comments:

Gingerbread Girl said...

Eu gostava mais do "antes"...

*

Anonymous said...

Ola Bela, as minhas semanas são passadas entre Lisboa, de segunda a sexta feira, e a minha pequena aldeia Liteiros aos fins de semana. A minha aldeia apesar de pequena tem o seu encanto e sinto-me lá, como um peixe na água. Acho apaixonante a vida do campo, da-me um sentimento de liberdade único. Ao contrario das cidades, no campo tem-se sempre algo para fazer, desde fazer as sementeiras, tratar dos animais, colher o pasto, regar a horta etc. Todos se conhecem, pelo menos de vista, e todos se cumprimentam. O lado negativo é que quando algo corre mal toda a gente remorde sobre o assunto.
Lisboa é uma cidade que tem certas partes muito bonitas, as pessoas vivem a correr de um lado para outro sem terem tempo para saborear a face das pessoas que se aproximam, vivem muito para si proprias. È uma cidade culturalmente rica e cheia de coisas para ver.
Bem, estes são actualmente os meus dois mundos.

Nota: Devo confessar que nunca me tinham dito que escrevo bem, e agradeço-te o elogio. È um gosto voltar ao teu cantinho para me perder um pouco nas tuas histórias, que reflectem um pouco de ti.

Beijinhos
Pedro Ferreira.