Pages

Thursday, November 12, 2009

Muros






"Nestes ultimos dias tem-se falado muito acerca dos muros, neste caso mais propriamente dito o famoso "muro de Berlim". Os meus pais foram emigrantes por vários anos na Alemanha e cresci bem cedo a aprender o significado daquele muro que separava a Alemanha. No entanto o que me tem aquietado desde então, tem sido não esse muro em questão, mas todos os outros muros que nos rodeiam. Não teremos nós próprios em algum momento da nossa vida também criado um muro de forma a evitar que este fosse invadido por acontecimentos porventura dolorosos? Não será uma forma de nos escondermos de nós próprios, dos nossos medos, inseguranças? Eu já o fiz. Já me rodeei de paredes bem altas, daquelas que nem o mais aventurado se atrevia a escalar. Foi uma forma covarde de me esconder, de abafar sentimentos. Se resultou perguntam? Não não resultou, apenas me fez sentir ainda mais miserável. Felizmente tive a felicidade de encontrar alguém disposto a derrubar esses mesmos muros. Custou. Eu lutei, quanto mais ele derrubava, mais eu erguia outro em seu lugar. Até ao dia que olhei á minha volta e já não existia muro nenhum. Nunca mais voltarei a erguer muros intransponíveis. Limitarme-ei a muros pequenos, daqueles que facilitam a entrada a quem quer que queira entrar. Porque nada nos consegue proteger da dor, nem portas fechadas, nem muros instraponíveis. A dor se tiver que chegar, chega, não a conseguimos evitar, conseguimos porventura minimizar apenas. Porque não somos feitos apenas de alegrias, são as nossas dores que nos fazem ainda apreciar mais os verdadeiros momentos de felicidade que temos. Porque não existe felicidade a 100%, isso é certamente uma utopia. Temos momentos de extrema felicidade que aos nossos olhos têm ainda maior apreço depois de se ter experimentado um pouco de dor. Cada vez me convenço mais que não é concevível felicidade sem estar aliada á dor. Ser feliz custa, mas é nessa luta pela felicidade que reside o segredo da verdadeira felicidade. As coisas de "mão beijada" não têm certamente o mesmo valor.... Bela"

4 comments:

Olhos Dourados said...

Tens razão!

pepita chocolate said...

Estas tuas palavras poderiam ser as minhas...

Mas por agora, digo somente o que me ocorreu, assim que vi o teu título: " cada vez mais, as pessoas aprendem a construir muros em lugar de construírem pontes"

Cada vez mais acontece!

Beijoca!

Libelinha said...

Sabes?... Quanto mais alto o muro maior o sofrimento!... Pois pensamos que estamos seguros por detrás daquele enorme muro...
Cada vez mais faço por construir pontes e... Aos pouquinhos acho que estou a conseguir... O Gafanhoto destruiu os meus muros mas ensinou-me que havia pontes a construir!

Beijinhos ;P

Brown Eyes said...

Bela construir muros ou pontes depende da pessoa que se queira aproximar de ti. Há quem mereça uma ponte e há aqueles que não merecem nada e, aí, vem o muro. O sofrimento faz parte de uma vida mas pode ser evitável. Estou de acordo com os muros que sejam construídos para nos evitar dissabores. Sempre podes espreitar e dar a chave a quem merecer entrar.
Beijos.