Pages

Wednesday, November 18, 2009

Onde sou verdadeiramente feliz

"Quem sou eu? Ultimamente tenho feito esta pergunta a mim própria. Não sou nada do que alguma vez imaginei ser. Os meus "grandes sonhos" ficaram perdidos algures no meu passado. Todos os dias me aparecem novos sonhos, novos desafios, mas aqueles que estão lá atrás atormentam-me, perseguem me. Não desisti deles, apenas não se proporcionaram ou deixaram de a certa altura fazer sentido. Acusam me de andar sempre com a cabeça nas nuvens, de viver num mundo apenas meu. Esperava a esta altura da vida, ter já encontrado resposta ás minhas questões, aos meus dilemas pessoais. No entanto a cada dia que passa mais longe estou de me encontrar. Encontro prazer apenas nas coisas que realmente me dão prazer. Vivo no meu mundo de personagens criadas em minha mente, de sucessões de falas, de rostos que nunca vi, de beijos que nunca senti. Ás vezes esses cenários parecem tão mas tão reais que é como se realmente existissem. Dou por mim a recordar falas que não ouvi, a sentir o que não era suposto sentir. Deveria descer deste meu mundo, deveria tocar mais este mundo terreno em que me encontro envolvida. Não consigo, é tão melhor estar por entre os meus sentimentos, pensamentos. Espreito a realidade da vida e não gosto do que vejo. Vejo uma mulher que vive na busca incessante de si mesma, que sente tudo a fugir lhe por entre os dedos. Tento agarrar me a algo que me faça assentar os pés no chão, mas não vejo nada que me agarre com força, que não me deixe ir... enquanto não houver uma mão estendida que me agarre, deambularei pelo mundo mágico dos meus pensamentos, porque lá, é onde sou verdadeiramente feliz. Bela"

7 comments:

Brown Eyes said...

Bela é dificil que consigamos viver completamente satisfeitas, principalmente se tivermos valores. Eu costumo dizer que não nasci para viver neste mundo: a mentira, a injustiça, a hipocrisia, and so on, deixa-me doente. Não consigo fechar os olhos e por isso, tal como tu, vivo no meu mundo e raramente estou acordada. Só acordo para viver o que gosto. Viver na lua é a maneira de estarmos protegidas, de vivermos à nossa maneira, num mundo à nossa medida.
Quanto à realização dos teus sonhos, pensa que um dia conseguirás. Eu mais ou menos consegui, os que não consegui não dependiam de mim. Os que não consegui resignei-me, afinal para mim as metas modificaram-se. A idade obriga-nos a tirar conclusões, a analisar a vida que tivemos e a concluir que estamos cá é para viver, não para andar numa luta desenfreada por sonhos que acabam por não levar a lado nenhum. Ter tempo para nós é mais importante que tudo. Beijinhos

Libelinha said...

Eu também era assim... Ainda o sou!... Mas penso ter conseguido um dos meus sonhos... O Gafanhoto!... É ele que me faz descer um pouco á terra e lutar pela concretização dos outros sonhos!...
Mas uma vida a dois que eu tanto sonhei é uma luta a cada dia que passa... Já não é uma preocupação com a minha felicidade mas com a felicidade dos dois e a nossa (que muitas vezes é bem diferente)...

Beijinhos ;P

Poetic GIRL - BELA said...

Brown eyes, mas nem sempre as outras pessoas entendem que a gente tem o nosso mundo, depois acusam-nos disso mesmo. Cobram-nos uma entrega, uma presença que ás vezes não estamos dispostos a dar

Libelinha, ainda bem que tiveste essa "sorte" e sim acredito que uma vida a dois não deva ser sempre fácil. Mas acredito que no fim deve compensar sempre o risco... beijocas ás duas

Brown Eyes said...

Bela sei do que falas. Também sofri essas pressões. As pessoas não entendem como podes gostar de sentir-te bem só, assim como também acham que tu és obrigada a apoia-las sempre que precisem, a estar com elas sempre que querem. Mas um dia aprenderás a viver com essas pressões e a dar-lhes resposta. Como já te disse o que importa é tu sentires-te feliz, o que os outros pensam ou dizem só a eles lhes interessa. Quem te amar verdadeiramente compreenderá os teus silêncios, as tuas ausências. Bela nunca desesperes, o que é bom às vezes tarda mas chega. Tu, com a idade chegarás à conclusão que o que não chegou não faz falta. Linda eu tive uma vida que não desejo a ninguém, talvez tu já conheças um bocadinho das visitas ao meu cantinho, há uns anitos atrás conheci alguém que me preencheu todos os vazios, ma faz feliz, me compreende, nunca me repreende, me ama, é meu amigo, companheiro. Sou feliz e sinto-me amada. Sabes que idade tenho não sabes? A felicidade chegou depois dos 40 mas chegou. O passado nunca se apaga, há palavras que soam muitas vezes na tua cabeça mas esse alguém apaga-as logo. Acredita que tudo mudará. Beijinhos grandes linda.

b.vilão said...

A realidade não interessa. Eu por cá esqueço-me constantemente de pagar a conta da lei da gravidade. E flutuo, regando-me com doses diárias de imaginário. Ou me seguem ou então não me apanham cá em baixo.

Poetic GIRL - BELA said...

Brown eyes, não tinha recebido o aviso no email do teu novo comment... estranho... brigada pelas palavras amigas. Engraçado encontrar conforto em palavras de quem não me conhece pessoalmente, palavras que por vezes não encontro na boca de quem lida comigo dia a dia... um beijo grande para ti

b. vilão, também ando sempre flutuando por aí.... ainda nos vamos encontrar por aí.... bjs

Brown Eyes said...

Bela sabes que já me aconteceu o mesmo? O aviso anexa-se, às vezes a comentários antigos o que pode ocasionar que não os vejamos. Os teus são publicados automaticamente mas os meus não. Pode acontecer receber comentários e não os ver, não serem por isso publicados.