Pages

Thursday, November 5, 2009

Pudesse eu proteger....


"Hoje fui á feira com a minha mãe. Não que eu seja fã deste tipo de locais, mas a minha mãe simplesmente adora passear-se pelo meio das pechinchas... Devia ser para aí umas dez horas da manhã, estava bastante frio e caía uma chuva daquela mesmo aborrecida. Num dos muitos feirantes que a minha mãe quis parar para apreciar os produtos que estava a vender, estava um bebé, não posso precisar bem a idade, mas não devia ter mais que um mês. Mal vestidinho, com os pézinhos descalços, roupa demasiado leve para este tempo. Arrepiei-me. A cigana tinha o bebé colocado em cima da mercadoria, aos prantos, tadinho estava vermelho de tanto chorar. Incomodou-me aquilo. Que preço as crianças têm que pagar nesta vida para estar sujeitas a tal tratamento? Primeiro aquilo não é lugar para crianças, quanto mais bebés, depois naquelas condições, desculpem que diga mas é desumano. Ela deve ter reparado que eu fiquei chocada, pois pegou na criança e com modos bruscos desnudou-se á frente de toda a gente, enfiando a boca da criança no seu seio. Senti um aperto dentro de mim, uma vontade de arrancar aquele bebé daqueles braços e de o trazer comigo. Nenhuma criança merece ser tratada assim, como um objecto. Para que esta gente tem filhos? Para quê? Para depois os fazer sofrer, sujeitar a uma vida parca em carinhos, afectos, amor? Pudesse eu proteger todos estes inocentes, de uma vida dura, pudesse eu.... Bela"

5 comments:

Girl in the Clouds said...

Isso é verdade!! E tanto inocente mal tratado por este mundo fora!! Gostava de poder fazer algo!!

Brown Eyes said...

Pois é Bela. Neste mundo não há mesmo justiça. Tantos casais a tentarem ter filhos e não podem e quem pode trata-os assim.

Anne said...

como eu te compreendo meu amor...
vejo tantas vezes essas situaçoes. dão me a volta ao estômago... :(

Libelinha said...

É terrivel quando vemos algo assim e não podemos fazer nada!... há uns valentes anos tive uma situação parecida!... Ia no comboio e num banco sem ninguém estavaum bebé... Parecia que não havia ninguém a tratar dele e lá comecei eu a pensar que se ninguém viésse ali eu pegáva nele e ia-me embora com ele para casa!... Eu tinha 15 anos, lol... Mas não me importava de ficar com ele a meu cargo!... Ali abandonado é que não podia ficar!... Uma estação antes de eu sair, veio a cigana... Mãe da criança e pegou nela e saiu na estação!...
Ainda hoje penso naquele bebé e o que seria se o tivésse levado para casa... (como se fosse assim tão simples...)

Beijinhos ;P

Anonymous said...

Olá Bela, é sempre revoltante ver um ser tão frágil ser tratado dessa forma. Concordo contigo que uma barraca de uma feira não é lugar para uma criança e ainda por cima de tão tenra idade. Que nessa idade todos os cuidados são necessários. Um casal conceber um filho deve ser visto como uma alegria mas também com uma grande responsabilidade. Obviamente se o casal não tem condições para que a criança cresça normalmente, façam um favor a elas e não pensem em tê-las. A mim transcende-me a ideia de os casais terem filhos e depois não os amarem e até abandona-los porque aquela criança é a prova física do amor dos mesmos. Penso que uma criança que cresça sem carinho e amor dos pais, mais tarde isso vai reflectir-se nas relações com as outras pessoas.
Espero que esse bebé que viste tenha uma vida feliz e que Deus ilumine os pensamentos da mãe para que tenha mais atenção e cuidados com o mesmo.

Beijinhos

Pedro Ferreira.