Pages

Monday, January 18, 2010

Irmãos & Irmãs

"Hoje vou falar-vos de laços. Laços que vão muito além dos laços de sangue, são os laços de afectos. Aqueles que nos unem a alguém, aqueles que são tão bem dados que dificilmente poderão ser desfeitos. E muitas vezes esses laços unem pessoas que não são da mesma família, não são sangue do nosso sangue, embora tenham gestos e atitudes muito mais sinceras que os da nossa própria família. Durante anos e anos, enquanto a minha mãe exercia a profissão de ama, eu fui criando laços com os meninos que foram criados por nós. Desde bastante novinha, dos meus 12 anos talvez, que divido eu e a minha irmã o amor de nossa mãe com os meninos que foram criados lá em casa.Durante toda a minha vida cresci consciente de que "mãe não é apenas aquela que dá à luz, é aquela que nos dá um amor incondicional, quer nos tenha dado á luz ou não" A minha mãe é uma mãe de afecto. Eu sou uma irmã de afecto. Olho agora para cada um dos meus meninos (gosto tanto de os chamar assim), sorrio, choro lágrimas de felicidade por sentir que o amor que lhes dedicamos não foi em vão. Todos os ensinamentos, toda a energia investida em cada um deles, tem sido recompensado. Olho para eles agora, alguns deles já homens e mulheres feitos e penso: "Eu já tive este bebé nos meus braços, eu mudei - lhe as fraldas, enxuguei-lhes as lágrimas, amparei-os nas primeiras quedas, dei-lhes aquelas palmadas que por vezes mereciam. Se vos disser que olho para cada um deles, vejo bastante de mim. Reconheço neles traços meus. Agora adolescentes, jovens, alguns mais maduros que outros mas os laços que nos unem uns aos outros são tão mas tão fortes que até me atreveria a dizer que serão mais fortes que os laços de sangue. Encontrei nestes meninos os irmãos e irmãs que queria ter, sim tenho uma irmã de sangue mesmo que aliás adoro, mas estes também são de certa forma os meus irmãos. Engraçado que o mais velhos ou seja os primeiros a frequentar a nossa casa têm agora 20 anos. Mas acreditam se vos disser que os laços nunca se perderam? O contacto foi sempre mantido de parte a parte, mas o que me deixa mesmo orgulhosa é que mesmo agora que pensam por si mesmos, que são responsáveis pelas suas atitudes eles continuam a manter estes laços de afectos para comigo e a minha família. Demos muito amor ao longo destes anos, mas asseguro-vos que recebemos o dobro ou talvez até o triplo. O amor de uma criança é um amor puro, desprovido de interesses, ou é ou não é. Não podemos obrigar uma criança a gostar de nós, mas podemos dia-a-dia construir essa ponte para os deixar vir até nós. Dias como hoje em que reencontrei um dos meus meninos (agora um homem, já com namorada e tudo) saber que no meio de um shopping ele gritou meu nome com um entusiasmo tal, apertou -me nos seus braços (sim ele agora está um homem e eu do meu 1.50 de gente pareço uma anã ao seu lado) fez - me ficar no limiar das lágrimas. Só pensei, porra, isto sim é amor em toda a sua plenitude e ai de quem me venha dizer o contrário. Gostaria de vos poder mostrar cada um dos seus lindos rostos. Gostaria que pudessem ver a força do Chico, alegria da Bárbara, a tontice da Catarina, os lindos olhos azuis do Litos, a beleza da Flávia, as travessuras de Sofia, o sorriso da Margarida.... e tantos mais. Gostaria mesmo. Espero que pelas minha palavras tenham conseguido vislumbrar uma ínfima parte da beleza destes meninos que também são um bocadinho meus.... Bela"

11 comments:

Brown Eyes said...

Bela consegui sentir o amor que tu tens por eles e o amor que eles têm por ti. Conseguiste que as lágrimas me viessem aos olhos. Eu, tal como tu, deliro com essas manifestações de carinho. Imagino o que sentiste quando em pleno centro comercial ouves o te nome dito por aquele menino que pegaste ao colo. Não há nada mais lindo que o amor, pois não? Pena que, como dizes, por vezes sintamos mais essa amor por parte de pessoas de fora do que pelas pessoas que têm o nosso sangue. Tu mereces essas manifestações de carinho. Beijinhos

Girl in the Clouds said...

O teu texto transparece os laços que tens por estes "meninos"!! É bom ter este tipo de sentimentos!! Também sinto em alguns amigos, é uma sensação indescritivelmente boa!! kiss

gi said...

Que texto lindo! Totalmente a transbordar de amor e carinho. Acho que o amor que damos e recebemos, é o que faz a vida valer a pena, e sentir que o nosso amor pode tornar uma pessoa melhor, é ainda mais recompensador! Muitos beijinhos querida :)

Olhos Dourados said...

Realmente há laços que se constroem assim.

Libelinha said...

O teu texto descreve bem a beleza desses sentimentos, nos laços criados!...

Beijinhos ;P

S* said...

Sabes que eu percebo isso tudo. A minha mana é a pessoa mais importante do meu mundo.

Carla said...

Esses são aqueles laços que naturais, tão verdadeiros que não estão ligados por sangue ou qualquer outro...existem porque sim, porque assim o queremos, e há realmente coisa melhor que isso?

acredito na sinceridade com que dizes cada palavra ao descreveres esses irmãos e irmãs, e o entusiasmo e orgulho que transmites quando o fazes.
Parabéns por isso =)

beijinhos*

Di said...

Bem, emocionei-me ao ler este texto, estas palavras tão sentidas e verdadeiras... é amor incondicional, isso sim!

Beijinho.

Poetic GIRL said...

Brown eyes: apesar de não nos vermos com tanta frequência agora, é tão bom quando acontecem estes reencontros que nos fazem transbordar de alegria. Apesar de estarmos por vezes afastados fisicamente o contacto esse é sempre mantido, e as visitas pelo menos na páscoa, natal e aniversários deles acontece. bjs

Girl in the clouds: sim são laços bem fortes, foram anos de convivência diária... um sem número de coisas vividas... bjs

Gi: acredita nunca é demais o amor que podemos dar a alguém, quer sejam da nossa familia ou não. há muitas formas de amar, sem ser a ideia pré-concebida do amor entre um homem e uma mulher.

Olhos dourados: Não é para nos gabar mas a minha mãe sempre amou cada um daqueles meninos como se fossem seus filhos mesmo. E olha que sofreu com a partida de cada um deles como se sofre pela partida de um filho... e nós também claro. bjs

Libelinha: escrevi o texto mesmo com emoção acredita!

S: Mais uma forma de amor incondicional entre irmãs! Também sinto o mesmo pela minha...

Carla: obrigada, são mesmo um bocado meus! bjs

Di: eu também me emocionei ao escrever... sim vieram mesmo cá do fundo. Quando aos meus meninos provavelmente nunca lerão estas palavras mas eu demonstro-lhes por gestos e actos o que significam para mim... bjs

Nuno Dias said...

Que maravilha. Adoro ler coisas boas vindas de ti. Fico muito contente! Bjs*

Anonymous said...

Ola Bela, adorei o texto do principio ao fim, cada palavra tua transbordava de amor e emoção. Eu acho que deve ser reconfortante para ti sentires que a tua relação com os teus meninos, continua viva e forte, que reconhecem e retribuem o afecto, o carinho, a dedicação que lhes foi dada quando eram pequenos. E deve ser tão bom poder dizer: "Se vos disser que olho para cada um deles, vejo bastante de mim. Reconheço neles traços meus.",como uma mãe quando olha para o seu filho. Acho que escreveste neste texto o que deve ser uma mãe: "mãe não é apenas aquela que dá à luz, é aquela que nos dá um amor incondicional, quer nos tenha dado á luz ou não". Eu acho que deve ter sido fantástico esse reencontro, se tivesse acontecido comigo teria ficado de lágrimas nos olhos também e é com certeza amor em toda a sua plenitude.
Eu acho que este texto mostra a beleza da tua relação com os teus meninos e mais uma vez a tua beleza como pessoa.

Beijinhos

Pedro Ferreira.