Pages

Tuesday, February 2, 2010

14 anos da minha vida


"Há 14 anos era ainda uma menina. Que sabia eu da vida? Nada. Sabia que ela me havia roubado um dos meus pilares. Estava assustada com a incerteza do futuro. Supostamente a melhor idade, a que sempre quis alcançar, só me trouxe dor e sofrimento. Engoli então as dores e decidi ir trabalhar. As perspectivas na altura não eram muitas, afinal que sabia eu fazer? Aparte de experiência em comércio (trabalhei desde bem novinha ao balcão), não tinha experiência mais nenhuma. Foram alguns meses de procura sem encontrar nada. Até ao dia que minha mãe me conseguiu um emprego numa dita loja dos 300. Chorei, ripostei, de nada me valeu. Se queria trabalhar, teria que me sujeitar. E lá fui eu contrariada, enfiada numa loja atafulhada de artigos, algures numa cave sem ver a luz do sol. Definhava dia a dia, a tristeza me engolia, porque não era definitivamente o que queria fazer. Continuava mesmo assim a ir a entrevistas, sempre com a esperança de encontrar uma porta aberta que me permitisse escapar daquilo. Fui a várias, algumas bem aliciantes, mas nunca era escolhida. Ora porque não tinha o perfil indicado, ora porque me perguntavam porque não ia estudar, ora porque me julgavam pelo aspecto de menina.. Até ao dia em que uma amiga do liceu entrou na loja. Embaraçada por estar a trabalhar num lugar daqueles, cheguei a ponderar esconder -me. Mas de que adiantaria? Se não fosse naquele dia, seria noutro em que alguém conhecido "tropeçasse" em mim. Conversa puxa conversa ela confidenciou-me que trabalhava numa empresa, mas que ia ter que sair de lá, pois ia com o marido viver para Viana do Castelo. Perguntou se eu queria ir a uma entrevista que me recomendava. Claro que quis. E fui. Foi a entrevista mais longa que tive até hoje, foi-me apresentada uma empresa com três sócios, era esperado que fizesse a gestão documental da mesma. Saí de lá com a promessa que me telefonariam, mas com o coração desiludido pois algo me dizia que não seria escolhida. Alguns dias depois, bastantes, veio o tal telefonema. E a minha vida mudou.
Têm sido 14 anos, Olho agora para trás vejo uma sucessão de experiências que se tornaram extremamente gratificantes. Aprendi muito, mudei muito. Já nada resta daquela menina que saltava da cadeira de cada vez que o telefone tocava, que corava sempre que um cliente se lhe dirigia a palavra. Ao longo destes anos nem tudo foram rosas, mas também não foram espinhos. Tem sido um equilíbrio constante, as tarefas alargaram-se, os conhecimentos evoluíram. Mas o que mais gosto, que mais prazer me dá é mesmo o contacto com os meus clientes. Existe algo mais gratificante que sermos reconhecidos por quem é atendido por nós, nos trata por tu, tem sempre um sorriso? Este mês faz 14 anos que aqui estou. É demasiado tempo. Neste tempo tanta coisa aconteceu, tantas pessoas entraram e saíram da minha vida, tantos sonhos se realizaram outros continuam por realizar. Esta empresa viu - me passar de menina a mulher. Se alguma vez pensei que ia durar tanto? Não nunca pensei. Cada ano que passou, foi um degrau que subi, conhecimentos que adquiri, etapas que concluí. Ao longo deste tempo criam-se laços que custam a ser desligados, emocionais principalmente pelas pessoas. Mas a vida é uma roda viva e temos que aprender a rodar com ela. Eu aprendi. Bela"

12 comments:

Carla said...

"Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu
A gente estancou de repente
Ou foi o mundo então que cresceu...

A gente quer ter voz ativa
No nosso destino mandar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega o destino prá lá ...

Roda mundo, roda gigante
Roda moinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração..."

Porque adoro a musica e adorei a história, poder olhar para trás e ver o quanto crescemos =)

Bloguótico said...

Fossem esses teus 14 anos os de muita gente e não ninguém se queixaria tanto! :D

Ana said...

muitos parabésn pela vida que conquistaste, espero que o trajecto nao se distancie daquilo que sonhas e mereces.
um beijao

pepita chocolate said...

Como te entendo; existem laços que são difíceis de ser ser desfeitos, que se perpetuarão na nossa memória, mesmo que na dos outros tenha sido passageira.

Beijoca

Brown Eyes said...

Bela espero que a pouco e pouco consigas subir os degraus que te permitam fazer o que queres. Beijinhos

gi said...

Gostei muito deste teu post. És tu a agarrar a vida e a lutar contra os medos e obstáculos que ela traz, e a sair mais forte e vencedora. Beijinhos grandes***

Libelinha☆ said...

E são obstáculos como estes... Que nos fazem crescer na vida... Pensavas tu que irias morrer de vergonha por te verem trabalhar na loja e afinal surgiu uma grande oportunidade!...
Que a vida te traga obstáculos como estes cheios de grandes oportunidades!...

Beijinhos ;P

Olhos Dourados said...

Se não tivesses ido trabalhar para aquela loja se calhar não terias tido a grande oportunidade do teu actual trabalho.

Eva Gonçalves said...

Boa! Ainda estou a "conhecer-te"... mas gostei desa partilha. É isso mesmo, quando menos esperamos, a vida gira 180 graus. A minha já deu voltas enormes. Ainda bem que estavas no sítio certo a hora certa! :) Beijinhos

S* said...

Eu ainda estou a aprender...

Cor do Sol said...

Eu não me consigo imaginar tantos anos a fazer a mesma coisa. Sempre com crianças, mas diferente.

Percebo que te sentes bem e isso é bom. Parabéns.

Poetic GIRL said...

Carla: adorei as palavrinhas que me deixas-te... significaram muito para mim... bjs

Blogótico: sim sem dúvida, foram 14 anos bastante aliciantes... bjs

Ana: sonhos temos sempre, podem ou não se realizar, mas claro isso depende apenas de cada um. Mas sim tem sido uma vida profissional gratificante... bjs

Pepita: sim são laços que nos marcam sempre...bjs

Brown eyes: estou a subir, estou a subir, devagarinho. bjs

Gi: obrigada querida. Forte e vencedora? Já fui mais... bjs

Libelinha: a sério na altura custou-me imenso. Mas como dizes se não tenho aparecido as coisas teriam ou não outro desfecho. bjs

Olhos Dourados: acrdita, tanto resmunguei e acabou por ser para o meu bem

Eva: Sim era mesmo uma questão de estar no sitio certo, na hora certa.bjs

S: aprendemos sempre. bjs

Cor do sol: também não me imaginava, mas o tempo vai passando. bjs