Pages

Monday, February 22, 2010

(In)felicidade

"Constato que por vezes as pessoas aparentam ser mais felizes do que na realidade são. Para quem está de fora, vê a aparente felicidade pensa para consigo que deve haver algo errado consigo mesmo pois nunca conseguirá atingir tal patamar de felicidade. Mas no fundo, quando a verdade vem ao de cima, descobre-se que a aparente felicidade escondida era uma grande infelicidade. Quer-me parecer que ninguém nunca será totalmente feliz. Felizes são os momentos, alturas, fases na vida. Nunca a vida por completo. Porque haverá sempre quem nos magoe, quem nos tire o chão, quem nos iluda. E por vezes as relações que nos parecem mais sólidas, apenas o são aparentemente porque escondem uma realidade muito mais dura. A verdade é que por vezes não reconheço as pessoas, pessoas que eu lhes conhecia um determinado comportamento, agora envolvidas numa relação ficam irreconhecíveis. Apagadas até. Acho que desde o momento que as relações entram no campo das obrigações algo as começa a deteriorar. Mas isto sou eu que digo, quem serei eu para dar opinião sobre o que não sei, não é? Sei que fico triste quando vejo as pessoas serem marionetas nas mãos dos outros apenas porque receiam que a respectiva cara metade as deixe. Para mim isso não é amor, de forma nenhuma.Bela"

15 comments:

Carla said...

Nunca será amor, a necessidade de ser mais que o outro. E porque uma relação é feita a dois, num conjunto, não num individualismo superior e inferior. A essas pessoas às vezes gostava de dar um valente abanão e perguntar se gostam assim tanto da pessoa que as leva a deixarem de gostar delas próprias.
*

Patinha Feia said...

Concordo contigo. Todavia, há muita gente por aí assim, infelizmente.

Bloguótico said...

Essa foi uma constatação feliz! Sem dúvida... um post pertinente e muito actual!!!!

Poetic GIRL said...

Carla: é muitas é incrível como parecem marionetas nas mãos dos outros.. assusta-me... bjs

Patinha Feia; sim há mesmo muita gente assim. bjs

Blogótico: É um tema que dá pano para mangas, sem duvida que sim. bjs

Helga said...

Absolutamente, Bela! A felicidade é uma consequência de algo, de um momento. Jamais poderá ser uma constante. Pode sim, ser um conjunto sucessivo de bons momentos, que nos transmite uma agradável sensação de bem estar, logo por conseguinte deixa-nos felizes.

Em relação a essas "relações", infelizmente ainda existem pessoas que se anulam em nome de um sentimento, completamente adulterado e cujo significado é muitas vezes confundido, com sacrifício em vez de entrega.

Excelente texto. Beijinho :)

Korrosiva said...

A felicidade constante nao existe... devem-se aproveitar todos os momentos e multiplica-los!

beijinhoss

Girl in the Clouds said...

Uma boa observação!! Concordo contigo!!

Salvador d'Almeida said...

se fingirem ser felizes tempo suficiente, talvez o venham a ser ou simplesmente acreditam que sao.
em vez de usarem a força gasta a fingir a ser realemnte feliz....

Eva Gonçalves said...

Tens toda a razão. Tenho visto isso acontecer com pessoas próximas e nem as reconheço... triste mesmo. beijo

Poetic GIRL said...

Helga: é isso as pessoas anulam-se para manter as outras e acho isso muito triste... bjs

Korrosiva; É isso tudo, multiplicá-los! bjs

Girl in the clouds: É o que vejo á minha volta... bjs

Salvador: Achas que resulta fingir-se ser feliz? eu não consigo... bjs

Eva: Ficam irreconhecíveis mesmo! bjs

Di said...

Se não sofressemos nunca saberiamos o que era ser feliz.

Tens um desafio no meu blog :)

Beijinhos*

Brown Eyes said...

Quem disse que não sabes? Sabes e muito. Para ter uma relação assim mais vale não a ter. Nada é mais importante que a nossa naturalidade, o nosso amor próprio. Beijinhos

Poetic GIRL said...

Di: Sim damos mais valor á felicidade depois de experimentar a dor... bjs

Brown eyes: Sim mais vale mesmo não ter nada... bjs

Anonymous said...

Ola Bela, as relações são feitas a dois e cada um tem a sua lista de necessidades, se uma das pessoas apenas se preocupa em colmatar as necessidades do seu (a) companheiro (a) e esquece-se das suas necessidades, começa a ficar infeliz e a relação recente-se. Tudo na natureza tende para o equilíbrio, e nas relações não é diferente.

Beijinhos

Pedro Ferreira

Poetic GIRL said...

Pedro: Sem dúvida, tem que se dar para receber, em igual proporção... beijinhos