Pages

Sunday, February 28, 2010

Palavras d'outros que podiam ser minhas....

´Ele faleceu há pouco tempo. Sinto uma dor enorme no coração. Os dias parecem intermináveis. Ainda choro ao ouvir o seu nome. Entro no quarto dele e sinto o seu cheiro familiar. As suas palavras ecoam nos meus ouvidos. Ainda há poucos dias ele estava vivo... há tão pouco tempo, e todavia está morto. É-me impossível digerir ou entender a situação, é difícil aceitar. Olho para as suas fotografias, e não consigo imaginar que toda aquela vida, amor, e energia desapareceram. Mas será que o seu rosto divertido e gracioso, o sorriso, o coração que conheci melhor que o meu, o melhor amigo que ele se tornou para mim, desapareceram realmente? Só vivem na memória? Mesmo agora, isso está para além dos limites da minha compreensão, para além daquilo que é suportável. Como é que tudo aconteceu? Como é que o perdemos? Como é possível termos-lhe dedicado tanto esforço, tanto carinho, tanto amor, e mesmo assim tê-lo perdido? Se só o amor o tivesse conseguido manter vivo, ele teria chegado aos 300 anos. Mas, por vezes, mesmo amando do fundo do coração, da alma, do espírito, não é suficiente.´


Danielle Steel , Meu filho Nick

13 comments:

Helga said...

Palavras dos outros que podiam ser nossas. Palavras que dedico a alguém, que ainda ontem estava vivo e cheio de energia. Alguém cujo desaparecimento deixou toda a família incrédula e sem perceber muito bem o que aconteceu.

Bonito texto.Beijinho:)

Juliana Lira said...

A Danielle sempre me emociona demais, nossa...forte esse texto não é?
Seria bom, seria a realização de um sonho manter quem amamos ao nosso lado, mas o amor não é suficiente nesse caso, conseguimos mantê-los apenas em nosso coração, gravados na nossa alma, para sempre...


Milhões de beijos

Poetic GIRL said...

Helga: É são palavras dos outros que nos tocam bem cá dentro, nós que também já perdemos alguém em nossa vida e que temos que aprender a viver desprovidos dessa presença. Força querida, sei quanto isso dói! bjs


Juliana: Sim este texto é por demais forte. Pois não podemos, resta-nos vver dessas recordações... bjs

Helga said...

Obrigada Poetic. Muito obrigada. Para ti também, pois infelizmente tb sabes o quanto é difícil.

Beijinhos :)

S* said...

Uma dor tão aguda que tenho medo de um dia a sentir.

Poetic GIRL said...

Helga: beijinhos

S: Não te vou mentir, é sim uma dor muito forte. Espero sinceramente que tão cedo não tenhas que passar por ela... bjs

Brown Eyes said...

Bela o amor parece que não conta nesses momentos. Parece até que quanto mais falta nos faz alguém mais depressa vai. São momentos inesquecíveis dos quais nunca recuperamos. Há que viver o melhor que se pode com essa dor. Beijinhos

Gonçalo said...

Curioso! Este é um excerto do livro que ando a ler actualmente. Ainda estou no início mas já estou a ficar entusiasmado. Já tinha lido "Malícia" da mesma autora e cada vez mais me parece uma escritora actual com uma escrita suave e acessível a todos. Lê-se muito bem!

:)

Beijinhos***

Poetic GIRL said...

Brown Eyes: Sim sem dúvida que sim, nunca se esquece, mas também acredito que de certa forma nos enriquece, torna mais humanos diria até... bjs

Gonçalo: Este livro é fantástico. Atrevo-me a dizer que foi o que mais gostei dela! bjs

cantinhodacasa said...

Todos perdemos alguém , mais cedo ou mais tarde.
Não digo mais nada.


Beijinho

Poetic GIRL said...

Cantinho: Pois perdemos. bjs

Petra Pink said...

Adoro a Daniele, mas este não foi nem por sombras o meu livro favorito dela. Gostei imenso sim, mas li numa fase da minha vida em que andava bastante triste e por isso tocou-me de tal forma que ainda me intristecia mais.
Dela adorei "imagem no espelho" história fantástica das gémeas Olivia e Victoria, "Malícia," A saga de uma menina violada pelo pai desde os 13 anos e que após a morte da mãe com Câncro o mata, e "o anel" Uma bonita história de amores e coragem passada na alemanha no tempo da segunda guerra mundial. Amei os 3 mas li muitos mais dela.
beijos

Poetic GIRL said...

Petra: Sim é um livro deveras triste. Mas achei tão bonita a forma que fala do filho, nunca esqueci as palavras. Também li vários dela, recentemente nem tanto... bjs