Pages

Wednesday, March 24, 2010

Dos caminhos que escolho

imagem daqui

"Hoje ao fim do dia de trabalho, como todas as quartas feiras antes da minha aula de danças fui dar uma volta ao shopping. Enquanto andava no parque à procura de um lugar para estacionar, lembrei-me de algo que a minha irmã me disse estes dias. Que eu por mais lugares vazios que haja para estacionar, escolho sempre o mais difícil, o que dá mais trabalho. Sorri. Porque hoje quando dei por ela estava a fazer mesmo isso, procurar o lugar mais difícil, e estacionar de marcha atrás. Dei comigo a pensar, constatar que isto é uma metáfora para a forma como levo a minha vida. Realmente eu escolho sempre os caminhos mais difíceis. Fiz uma retrospectiva e dei-me conta que em vários patamares da minha vida, sou sempre aliciada pelo mais difícil. Quero sempre os lugares mais difíceis de estacionar; prefiro os homens difíceis aos demasiado fáceis;prefiro aprender por mim mesma do que aprender com os outros; prefiro sempre um livro de muitas páginas a um livro fino; eu realmente sou assim. Só gosto do me que dá garra para lutar, para mostrar este meu lado de leoa. Mesmo que haja um caminho mais curto, mais fácil, podem ter a certeza que eu não vou por aí. Irei justamente pelo caminho com mais pedras, ervas daninhas. Não sei se isto é bom ou mau. Porque às vezes no caminho mais fácil poderia apreciar um bocado mais a "paisagem", enquanto no difícil estou tão concentrada em singrar, em vencer que talvez não aprecie totalmente a beleza do caminho que percorro. Às vezes sinto-me como um náufrago, posso estar mesmo prestes a afogar-me, mas agarro-me a tudo para vir á tona. É esta a minha postura perante a vida. Never give UP. NEVER.Quero ter a certeza que se as coisas não aconteceram na minha vida foi simplesmente porque não tinha que ser. Não quero cá lamentações do que poderia ou não ter feito. Nada de arrependimentos. De tudo tiro uma lição, com mais arranhões, com o cabelo mais desalinhado pela luta, mas sigo em frente, é o único caminho que conheço. Pode ser difícil mas é o meu caminho e estou disposta a percorrê-lo de cabeça bem erguida. Olho para o passado e deparo-me com o facto de que eu sempre fui assim. Desde pequenina sempre fui teimosa o suficiente para mostrar que sou capaz, mesmo que me dê mal, pelo menos tenho a certeza que tentei. Não foi nada imposto, foi algo conquistado, que sem dúvida me dá outro sabor à vida. Bela"

11 comments:

Brown Eyes said...

No fim tens a conclusão: O que é conquistado com dificuldade dá outro sabor à vida. Quem não gostaria de vencer depois de ter tirado do caminho tantas pedras? Todos mas, alguns, não se dão a esse trabalho outros procuram-no. Beijinhos

Libelinha☆ said...

lol... Hoje tenho um post no meu blogue muito parecido com o teu, hehehe!... Viva a luta!...

Beijinhos ;P

izzie said...

Agora sou eu que confesso... que temos muito em comum... :)
Só falta andarmos no mesmo ginásio... porque iss o faz-me lembrar a minha rotina pós-trabalho :p

Beijinho,

Helga said...

Claro que aquilo que conquistamos com luta, nos dá mais prazer e mais sabor, mas ás vezes ir pelo caminho mais fácil, pode ser uma boa maneira de apreciar outras coisas e dar valor à sua simplicidade. Experimenta! Só uma vez... vais ver que te vais sentir revigorada para retomares a tua luta.

Bjs :)

Gabriela... said...

Revi-me em grande parte do que escreveste.
Sempre fui pelo lado mais difícil da vida, quando tinha apenas 18 anos já tinha uma bagagem de vida triplamente superior as miúdas da minha idade e foi sempre a somar.
Se aprendi algo, aprendi, se me arrependi nunca... posso ter fases em que vacilo e penso que se não tivesse sido assim poderia ter sido melhor. Mas não tenho espaço na minha pessoa para lamentar o arrependimento e é sempre a lutar para mudar.
Podemos ter sofrido mas aprendemos o que os que vão pelos caminhos mais fáceis não aprenderam.
Isto faz de nós quem somos!
Beijo no coração,
Gaby

Poetic GIRL said...

Brown Eyes: É dá outro sabor à vida, mas a verdade é que eu às vezes até complico as coisas simples. bjs

Libelinha: Andamos em sintonia, só pode. bjs

izzie: Já reparei que sim que temos coisas em comum. Eu ginásios realmente não sou fã, mas pratico danças... bjs

Helga: É às vezes devia mesmo simplificar um bocado. bjs

Gabriela: É assim que crescemos que nos tornamos no que somos não é? Eu olhando para trás não fazia nada diferente. beijo grande para ti

Gi said...

Eu meio que me li neste post. quero dizer, tão bom correr atrás do que quer e assumir de peito aberto que fez e pronto. Não porque era fácil e estava a mão, mas porque era o caminho escolhido. Podemos mesmo observar a paisagem quando no caminho mais fácil, mas teríamos o mesmo gosto de vitória e o delicioso cansaço que nos faz dormir melhor a noite?

beijo, beijo, beijo
Gi

Poetic GIRL said...

Gi: Exactamente isso Gi, tem outro sabor no final não é? beijos

cantinhodacasa said...

Inteiramente de acordo.
Engraçado que, ao ler este post, tomei consciência de que por vezes, vou para o mais longínquo, para o mais árduo de conseguir.
Embora eu não seja Leoa, mas sim peixes, toda a minha vida passada foi de luta, muita luta.
E,em relação aos homens, também prefiro os mais difíceis, aqueles que dão luta e provocam emoções fortes.

Beijinho

Segredo Cor de Rosa said...

Estava a ler este texto e a pensar o quanto também sou assim. Mas é engraçado, muito poucas situações na minha vida foram fáceis. E daí também aprender sempre a lutar por aquilo que queria.

Gostei muito da comparação com o estacionamento. Eu raramente estaciono no primeiro lugar que encontro. Gosto de estacionar o mais longe possível. E (se for possível) sempre com o carro o mais isolado. E muitas vezes a minha postura é de isolamento... engraçada a comparação...

Poetic GIRL said...

Cantinho: É as coisas mais dificeis dão-nos outro gosto não é? bjs

Segredo Cor de Rosa: Mas sabes que quem luta pelo que quer torna-se mais forte nessa luta. Eu ás vezes também procuro o isolamento, acho que por vezes nos dá aquela sensação de segurança não é? bjs