Pages

Wednesday, April 14, 2010

Escolho VIVER


imagem daqui

"Nunca devemos deixar que o destino decida tudo por nós; há decisões que temos que ser nós a tomar" Bela


"Assusta-me o conformismo. Nunca me dei muito bem com ele. Esta minha forma de ser inconstante faz-me questionar tudo e todos. Nunca fui de me acomodar, posso eventualmente me resignar mas acomodar nunca. Creio que as pessoas seriam muito mais felizes se canalizassem as suas energias em algo que as preenchesse, que as fizesse crescer como pessoas. Vejo tanta gente a queixar-se da vida, olho-as de soslaio, vejo os braços cruzados, o olhar vago como à espera que as coisas lhes caiam no colo. Desenganem-se as pessoas assim, nada desta vida nos é dado de bandeja. Eventualmente até nos podem ser dados bens materiais de bandeja mas esses não nos completam, apenas preenchem um vácuo ilusório porque no final quando os bens materiais se vão, que nos resta? A alma sim, o conhecimento, a sede de aprender, de partilhar experiências, essa sim será a forma mais plena de felicidade que poderemos ter. A nossa felicidade não está nos outros, nem no que os outros nos podem dar, mas sim dentro de nós. E a base para essa felicidade tem que ser moldada nas nossas experiências de vida, que somos nós que construímos. Com mais quedas, com mais retrocessos que avanços, é assim mesmo. Nada poderá ser perfeito. Os amores não são perfeitos, as amizades não são perfeitas, nem as famílias são perfeitas. A perfeição não existe é apenas uma utopia, uma ideia que nos colocaram na cabeça. Mas podemos chegar perto da perfeição, com a certeza interior de que o nosso marco nesta vida será de alguma forma importante, não pelos outros, mas sempre por nós mesmos. Por isso por vezes temos que abandonar o que não nos deixa evoluir enquanto seres incompletos que sempre seremos, largar as vestes que nos prendem os movimentos, nos impedem de voar. E sonhar. Não se acomodem. Chorem, gritem, mas acomodar-se, encolher os ombros como quem desiste da vida, não é solução, é apenas um caminho ainda mais longo para ser percorrido. Porque sempre que baixámos os braços é uma parte de nós que desiste, e desistir não é sinónimo de viver."Bela

14 comments:

Olhos Dourados said...

Pois é.

izzie said...

Já fui mais reaccionária... talvez esteja intimamente ligado ao facto de ter aceite os meus medos... logo, tornei-me mais calma.
O "engraçado" é que assim sendo, desde que assim é... sinto mais as minhas quedas e a minha aprendizagem.

A meu ver... nada como viver. Conformados, revoltosos... mas vivos.

Beijinho,

Ana said...

A minha teimosia (e como sou teimosa!) não me deixa desistir nunca daquilo que quero. Por vezes, deixo certas coisas em banho-maria durante um tempo, por achar que não é a altura certa, mas o pensamento está lá e só bato em retirada depois de esgotar todas as forças. Muitas vezes fico exausta, mas com a certeza de que fiz tudo o que era possível.

beijinho

Libelinha☆ said...

Desistir?!?... Nunca!... O pior de tudo é ver as pessoas a reclamarem com tudo... Ou quando têm tudo!... Essas não sabem viver... Provavelmente nunca lutaram para ter o que têm... Então não conhecem o sabor da luta!...

Beijinhos ;P

Girl in the Clouds said...

Adorei o teu texto e faço das tuas palavras minhas!! Também não me acomodo!!

Poetic GIRL said...

Olhos dourados: :) se é! bjs

Izzie; O que interessa é não nos acomodarmos, até podemos olhar para as coisas com alguma calma, agora apatia, desistir não. A revolta é uma forma de mostrar que estamos vivos e nos importámos... bjs

Ana: Sou tal e qual! Até pode parecer que desisto, mas não fica sempre a remoer cá dentro! bjs

Libelinha: As pessoas que reclamam e não fazem nada para mudar a meu ver nunca vão a lugar algum. São acomodados por natureza! bjs

Girl in the clouds: Eu já reparei que não és das que se acomoda! Já deu para ver pelos teus posts... bjs

Gi said...

Bela
Suas palavras me fizeram pensar em sonhos, sabe aqueles que ficam por anos adormecidos e de repente a vontade de sonhar se sobrepõe e você se torna apenas sonho, força e paixão? Acho que os sonhos são os inimigos naturais do comodismo. Eles nos levam às alturas, nos fazem ver outras perspectivas, outras formas de continuar lutando. Sempre.

beijo, beijo, beijo
Gi.

Poetic GIRL said...

Gi: É isso mesmo, os sonhos são os inimigos do conformismo. Enquanto nos fôr permitido sonhar é tão bom não é? beijo grande

Ava said...

Adorei o teu texto, bela. E concordo contigo, o conformismo é apenas existência sem vida. Embora as vezes desejasse saber como lutar contra ele...

Um beijo Ava

António said...

É bom encontrar pessoas inconformadas. Neste mundo somos cada vez mais uma raridade.
Gostei de reflectir sobre o teu texto.

Beijos
Antóno

Olga said...

Concordo. Se eu escreve-se assim tão bem como tu, com tanto sentimento e paixão, poderia ter escrito este lindo texto, porque é desta forma que vejo a vida. Beijinhos cheios de energia positiva.

Poetic GIRL said...

Ava: às vezes não sabemos mesmo como lutar contra ele, mas se tivermos pelo menos a vontade acho que já é meio caminho andado! bjs

António: Felizmente ainda há quem não se conforma, não é? bjs

Olga: Oh tu escreves tão bem! eu apenas deixo o meu coração falar mais alto! Ele tem mesmo vontade própria! bjs

Patty said...

Há um professor da minha filha que diz: Uns ficam de baixo da bananeira à espera que a banana caia e outros sobem à bananeira e vão buscar a banana. Eu sou daquelas que vão buscar a banana, às vezes demoro um pouco a me decidir, mas quando me decido, vou à luta.
Gostei muito do texto.
Bjocas
Patty

Poetic GIRL said...

Patty; Eu também vou buscar a banana defenitivamente! Obrigada... bjs