Pages

Sunday, May 2, 2010

Em segunda mão



"Eu ir de férias e não vir recheada de literatura na bagagem não seria de todo normal em mim. Corri sérios riscos de ter que abandonar estes meninos no aeroporto de Liverpool quando a Ryanair me queria 80 libras por excesso de peso. Mas como abandonar um livro é como abandonar uma parte de mim, não me perguntem como, mas consegui retirar e organizar a bagagem de tal forma que não ficou nem um para trás. De salientar que todas estas obras foram compradas em segunda mão, uma delas custou-me 50 cents (The Other Boleyn Girl). Apenas comprei dois livros novos, o resto tudo comprado no paraíso dos livros em segunda mão. Era bom se por cá se fomentasse este tipo de comércio de livros que ainda em bom estado poderiam fazer as alegrias de alguém. Por todo o lado se vêem estas lojas que vendem artigos em segunda mão, roupa, livros, cd's, dvd's e muitas coisas mais. E todos os dias recebem livros novos, muitas vezes doados por pessoas que ajudam instituições de caridade. Nestas minhas compras ajudei um centro de abrigo para animais, a cruz vermelha e outras instituições. Com a venda destes livros, para além de satisfazer o meu prazer pessoal, sinto-me ainda melhor por saber que pude contribuir com alguma coisa para ajudar alguém. E agora que tenho aqui estes meninos em casa, já todos acolhidos na sua nova morada, não me canso de olhar para eles, ansiosa por devorá-los. Mas tudo ao seu tempo, os livros foram feitos para serem saboreados, deliciar-nos, seduzir-nos a cada página. Sem pressas.... Bela"

17 comments:

Helga said...

Portugal ainda não é exactamente um país de culturas e de grandes oportunidades, mas eu lembro-me de aqui há uns bons anos, comprar uma mão cheia de livros em segunda mão numa banca de rua. Entre eles, Rebecca, o original de Dapnhe du Maurier que já te falei.

Beijinhos e boas leituras :)

izzie said...

Que invejinha... :p

Eu por causa da companhia não pude visitar essas lojas paraíso quando aí estive... :(

Beijinho,

pinguim said...

Isso é maravilhoso...
Imagino o peso da tua bagagem de mão, pois só assim poderás ter evitado o excesso de peso.

Di said...

E sabe tão bem satisfazer com pouco dinheiro... Sim , porque a cultura é bem cara neste país.

Beijinho e bom regresso ao trabalho!

Gi said...

Gosto de livros de segunda mão, dá a impressão que a imortalidade está presente neles, passando de uma mão para a outra de um leitor voraz, para outro mais tranquilo...
Aqui no Brasil, existem muitas lojas deste gênero, mas o povo ainda precisa de cultura, precisa aprender a buscar e fazer uso destes lugares. Aqui em Blumenau tem alguns e quando vou, vou com tempo, para sentar, olhar com olhos e dedos, procurar aqueles que mais me apreciam. Agora, já que tocou no assunto, ando pensando em como enviar-lhe um exemplar do meu livro de presente, tens uma idéia?

beijo, beijo, beijo
Gi.

Libelinha☆ said...

Não sei sinceramente se ainda se faz mas... A cada primeiro Domingo de cada mês havia a Feira de Velharias aqui na Torreira e havia muitas banquinhas com livros em segunda mão... O meu pai comprou bastantes!...

Existe também uma coisa (não me consigo lembrar do nome correcto) de Livros Viajantes... Que encontras na rua... Pousados em caixas Multibanco, em bancos de jardim, janelas, etc. Esses livros na primeira página têm algo que descrevem o funcionamento da "coisa"... Simplesmente levas para casa... Lês e voltas a deixar num sitio publico para que alguém faça o mesmo!...
Já encontrei um livro destes mas... Houve uma mão que chegou lá primeiro, hehehe!...

Beijinhos ;P

Poetic GIRL said...

Helga: espero que estes hábitos mudem! Precisamos mesmo de nos tornar mais cultos, ler mais, abrir os horizontes... bjs

Poetic GIRL said...

Izzie: Eu tive a companhia perfeita para isso, alguém tão ou mais viciada que eu!!!!! A minha companheira de viagens literárias! bjs

Poetic GIRL said...

Pinguim: Eu nem sei como consegui carregar a bagagem de mão. Só podia ter 10 kgs, mas acredita que vinha muito mais! Estava a ver que a qualquer altura me iam reter para pesar a mala, lol... bjs

Poetic GIRL said...

Di: É a cultura podia ser mais acessível, não fica barato investir-se nestas coisas quando há falta de tantas outras, mas acredito que um dia tudo irá melhorar. bjs

Poetic GIRL said...

Gi, há algo de sedutor em sabermos que temos um livro que foi lido por outros pessoas. Ficamos curiosos por saber quem se terá deliciado com essas palavras. Eu adoraria receber um livro teu! A melhor forma penso que seria pelo correio, posso te enviar minha morada, que achas? bjs

Poetic GIRL said...

Libelinha: Aqui em Braga não se faz muito isso, mas já vi noutras cidades. E existe o bookcrossing também, que é uma forma de se ler sem investir um cêntimo! bjs

Libelinha☆ said...

A "coisa" que eu falava é mesmo o: bookcrossing, lol!... Não me conseguia lembrar e nem sabia como ir buscar o nome da "coisa", hehehe!...

Beijinhos ;P

anf said...

que belas compras, o preço, e o conteúdo,

não sabia desse tipo de negócio bem podia ser fomentado em Portugal, pois ao preço que estão os livros ler não é para todos,
beijo

Eli said...

Se circulassem mais, eu até os lia mais rápido para os passar a outra pessoa, pois fico preguiçosa com eles lá em casa. São meus e tenho tempo, penso eu!

:)

Pérola Negra said...

Como eu te compreendo... Não conseguiria deixar um livro para trás! Bem bastam os que não se compraram e ficaram nas prateleiras, nas montras, nas livrarias, à nossa espera para uma próxima vez! Depois fala-nos das relíquias! Sim? :D

cantinhodacasa said...

És fantástica. Não só no jeito de escrever algo tão simples, como o entusiasmo que imprimes. Leva-nos à curiosidade.
Aqui em Braga chegou a haver um alfarrabista, penso eu que na Rua dos Chãos, mas há anos. Quanto a livros, cassetes, discos, costuma haver ao Sábado, mas não sei se é todos os Sábados, se no primeiro do mês, na Rua do Castelo, pessoas que vendem velharias...
Dizem que é barato que vale a pena lá ir.
Lembro-me que há uns anos comprei livros.
Vou saber se esta pequena "feira" se realiza todos os Sábados e vou tentar espreitar.
Dar-te-ei notícias.
Beijinho