Pages

Wednesday, June 2, 2010

Estava Vazio....


"Ao colocar a chave na porta estremeceu ligeiramente. Entreabriu-a , ficou a olhar o corredor escuro. Estava relutante em acender a luz, tacteou no escuro com receio de tropeçar em alguma coisa. Sentia-se apreensiva, o receio que lhe ocupara a mente o dia todo parecera ter-se realizado. Caminhou em direcção ao quarto, procurou o interruptor, ligando a luz ficou a contemplar o quarto. A cama ainda se encontrava por fazer, as almofadas jogadas no chão. Esperava encontrá-lo à espera dela, mas ele não estava.
A discussão de ontem ainda lhe latejava nos ouvidos, a cena ainda decorria perante o seu olhar. Ela a chorar, ele a agarrá-la pelos ombros abanando-a, querendo à força que ela parasse o choro. Mas ela não conseguira, ele atirara-a para a cama, dissera-lhe coisas horríveis. E mais uma vez ela ouvira e calara. Despiu o casaco, descalçou os sapatos e deitou-se na cama em posição fetal. Sentiu o cheiro da mistura do seu perfume e o suor de ambos impregnado nos lençóis. Escondeu a cara na almofada para absorver o cheiro uma vez mais. Deixou-se estar ali à espera de ouvir a chave na porta. Já eram horas de ele estar em casa. Teria acontecido alguma coisa? A apreensão tomou conta de si, num impulso procurou o telefone para lhe perguntar onde estava. Tocou, tocou, tocou e ele não atendeu. Seu olhar percorreu os objectos espalhados pelas mesas do quarto, pelo chão. Algo chamou a sua atenção. Levantou-se em direcção à cómoda. Estranhou a falta de alguns objectos. Tinha a certeza que a cómoda tinha mais objectos, ela no seu modo de ser cuidado, certeiro arranjara os objectos pessoais de cada um de forma a que não se misturassem. Neste momento alinhados em cima do tampo da cómoda apenas se encontravam os seus. Um grito abafado a percorreu. Correu para o guarda-fatos abrindo-o de par em par.
Seu olhar constatou o seu pior receio, as roupas dele não mais se encontravam ali. Espreitou debaixo da cama procurando a mala que lhe oferecera, também ela já não estava mais onde era suposto estar. Sentou-se na cama sem forças para reagir, ficou a olhar o guarda - fatos que estava vazio dos objectos dele. Nada ficara. Seu coração pesou-lhe dentro do peito. Também seu coração se esvaziara. Agora para além de um guarda-fatos vazio, ela estava vazia do amor dele. Covardemente ele saíra da vida dela, sem uma despedida, sem uma palavra de conforto. Ela nunca lhe pediria para ficar. Nunca. A relação chegara ao ponto do não retorno, ela sabia, ela sentira na sua pele na última vez que fizeram amor. O elo quebrara-se, o companheirismo cedera lugar às discussões, às acusações mudas, aos carinhos que não mais trocavam.
Seu coração estava agora mais leve, vazio,mas leve. Enxugando as lágrimas levantou-se, olhou uma vez mais o guarda-fatos vazio. Procurou debaixo da cama a sua mala onde guardara alguma roupa sua para arranjar lugar para a roupa dele. Abriu-a. Em questão de minutos voltou a encher o guarda-fatos mas desta vez apenas com a sua roupa. "Se fosse tão fácil voltar a encher o meu coração como voltei a encher este guarda-fatos" pensou. E sentiu um calor a aflorar-lhe a pele, um sorriso tímido brindou-a. Sim seria capaz de o fazer. E estando disposta a isso, sentiu seu coração se encher de esperança.
Não ia ser fácil, mas entre um guarda-fatos vazio ou um coração vazio, ela preferia ter o guarda-fatos e a cama vazia. "


Autoria: Lcarmo (Bela)
Desafio Fábrica de Letras
Tema: Estava vazio

****************************************************
P.S. Não se esqueçam do desafio que lancei neste post
TEMA: Poesia
Prazo das participações: Todo o mês de Junho
Enviar para : justmepoeticgirl@gmail.com
Resultados serão anunciados a 17 de Julho

5 comments:

Girl in the Clouds said...

O teu texto está lindo!
Tenho andado desaparecida, mas apenas porque o tempo não estica!! Mas, já tinha saudades de comentar aqui!! (Ler, até se lê no Google reader, mas não é a mesma coisa)

Poetic GIRL said...

Girl in the clouds: Obrigada! Pois o tempo não chega para tudo não é? beijocas linda

pinguim said...

Sim, é um texto que reflecte bem o abismo a que se chega quando uma relação acaba...

Vou mandar-te o meu poema, para o concurso.

Poetic GIRL said...

Pinguim: Todos acabamos por passar por uma situação dessas mais cedo ou mais tarde! Já recebi o teu texto! bjs

Otário said...

eheh muito interessante
essa tua utilização do 'coração'
no texto... boa semana!