Pages

Thursday, July 22, 2010

Fosso

"As pessoas vão cavando fossos à volta delas. Inconscientemente ou não, a verdade é que com as suas atitudes, gestos, acabam aos poucos por serem elas mesmas a cavar esse fosso do qual depois é muito difícil sair. Vejo-as a afogarem-se, estendo a minha mão com intenção de as salvar. Mas a verdade é que muitas não querem ser salvas. Diria até que propositadamente cavam esse fosso, o afastamento físico e emocional de forma a que não possamos chegar mais perto. É como se estivessemos separados, cada um na sua margem, o rio a correr pelo meio. Não há ponte, não há caminhos alternativos. Elas assim o quiseram. E o rio, ou o fosso, como lhe quiserem chamar, vai aumentando, aumentando até que um dia quando olhamos da nossa margem já não reconhecemos quem está do outro lado. Já não há forças para construir pontes, já não há forças para reatar os laços. E assim se vão perdendo os sentimentos nesta vida. E um sentimento depois de morto não mais ressuscita. Bela"

13 comments:

Last Angel said...

Fiquei maravilhada. É impressionante como essas palavras descrevem tantas vidas.

Robin K said...

e o que é realmente triste, é que muitas dessas pontes não são construídas por preguiça.
Construir essas pontes e cuidar delas dá muito trabalho. É preciso dedicação, tempo, força e paciência.

anf said...

Cada vez é mais dificil construir pontes.

Bjo

Robin K said...

Tens uma prendinha lá na minha tasca.

Robin K

Olga said...

Muito bonito o que tu escreveste. Existem pessoas que são mestres nestes tipos de escavações. Mas todos nós contribuímos de alguma forma para que se escave um fosso à nossa volta, nem que seja uma simples caldeira, como por exemplo com um telefonema que deveria ser feito e não se faz ou com qualquer atitude que se toma e não se deveria. Gostei! Beijinhos.

S* said...

Eu prefiro construir muros para me proteger...

Helga said...

Tens razão, ás vezes nem percebemos o fosso que nos envolve a cada dia. Neste momento eu mesma sinto um enorme em meu redor. A falta do meu PC tem sido a principal responsável por isso. Afastei-me do meu espaço, da minha rotina, dos meus hobbys e paixões, mas penso conseguir recuperar o tempo perdido e quando o fizer, espero que ainda me reconheças deste lado da margem.

Um beijinho grande :)

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Essas pessoas sofrem imenso porque, quando despertam para a realidade ,já não há qualquer hipótese de lhes atirar uma bóia de salvação

Maria said...

Por vezes, somos culpados disso, e tenho consciência de que também contribuo para esse fosso.
Mas, na hora do gesto, aproximo-me.

Beijinho

Su said...

cada vez mais é complicado construir e solidificar as pontes... cabe-nos, a nós, ergue-las e cuidar delas... mas às vezes, até eu própria acho que é complicado...

depois, cada um sofre, porque quando acorda, percebe que já nada é igual e que já ninguém a consegue salvar... isso é tao mau...! mas é o muro que cada ser humano anda a construir... e cada vez mais...

parece que têm medo de se entregarem... de serem felizes...

Beijinho querida *.*

Cinderela said...

É bem verdade o que escreveste, minha querida.
Quanto a férias, só na segunda quinzena de Agosto. Vou desesperar até lá! ***

Isa F said...

Infelizmente é assim que as pessoas vivem..

pinguim said...

Em vez de fossos devia haver pontes...