Pages

Wednesday, July 7, 2010

Uma questão de respeito

O 1º Milagre do Menino Jesus, pela Casa da Comédia



"...Dispensando os artifícios cénicos, o actor apresenta-se simplesmente perante o espectador e, recorrendo apenas a duas máscaras, conta dois relatos repletos de humor: a história do Papa Albino e do Papa Paulino (o primeiro ri sempre; o segundo só chora) e a história de como o Menino Jesus fez o seu primeiro milagre (para conquistar amigos). O texto é de Dario Fo e é tão ternurento quanto divertido. (informação daqui)"


"Ontem vi esta peça inserida na programação do Mimarte. Gostei. Textos bem estruturados, humor, e de salientar a prestação do actor Filipe Crawford que foi simplesmente genial. Um monólogo de com a duração de 1h e 15 minutos, mas pelo qual não sentimos o tempo a passar. 

O que me chocou foi a falta de tolerância das pessoas com o tema exposto. A meio da peça houve algumas que desertaram, outras faziam exclamações de desaprovação. Respeito que todos se reservam o direito de gostar ou não gostar. Mas desde o momento em que vamos assistir a uma peça com o título " O 1º Milagre do Menino Jesus" estão à espera de quê? Uma descrição biblica tal e qual? Para isso vamos à igreja. Claro que seria de esperar que os textos seriam irónicos, chocariam e só as mentes retrógadas e fechadas é que não percebem o conteúdo da peça.

As pessoas estão à espera de temas que não lhes toque na dignidade, que não os faça questionar as suas verdadeiras crenças. Mas a verdade é que o teatro, cinema, e outras artes têm o lado em que chocam, nos fazem contrariar as crenças, nos fazem ver as coisas por outra perspectiva que não a nossa. Não quer dizer que as aceitemos, isso não está em causa, em causa está o reconhecimento do artista, da interepretação, que vai muito além dos temas em exposição. 
Ir ao teatro sim, mas sempre com a mente aberta para ouvir opiniões divergentes das nossas. Aí está o segredo de se tirar prazer do momento, e não o ver só para dizer que se viu. Bela"

P.S. Claro que recomendo a peça....

15 comments:

anf said...

Esses foram os que não conseguiam ver para além dos textos,
provavelmente foram lá pela menssagem errada, pensavam que era mesmo como diz na Biblia,
Por isso é que há Homens grandes e grandes Homens,
beijo

art.soul said...

assino por baixo.

Robin K said...

Hello...
Tens um desafio no meu blog.


Este teu post só serviu para eu ficar com mais raiva por não ir ao festival. :-)

Beijos

Robin K

Maria said...

Há três anos atrás, não sei ao certo, fui ver um dos espectáculos. Também gostei, mas reparei que o público era diverso e nem sempre respeitava, em particular, o papel dos actores.
Este ano ainda não fui ver nenhuma peça. Não é porque não queira, mas este calor põe-me doida.
És uma corajosa.
Beijinho

Maria said...

Há três anos atrás, não sei ao certo, fui ver um dos espectáculos. Também gostei, mas reparei que o público era diverso e nem sempre respeitava, em particular, o papel dos actores.
Este ano ainda não fui ver nenhuma peça. Não é porque não queira, mas este calor põe-me doida.
És uma corajosa.
Beijinho

Patty said...

Infelizmente existe muitas pessoas que não sabem respeitar os outros.
Bjocas
Patty

pinguim said...

Não me admira nada esse comportamento;ainda por cima num evento para o qual as pessoas (algumas) nem sequer sabem o que vão ver...

Poetic GIRL said...

ANF: Acredita, considerei mesmo uma falta de respeito! bjs

Poetic GIRL said...

Art.Soul: obrigada... bjs

Poetic GIRL said...

Robin: Obrigada pelo miminho... aí no Porto não há disto? Sei que a Maia costuma ter... bjs

Poetic GIRL said...

Maria: Sim está calor, mas eu tenho que aproveitar que há estas coisas... LOL.. e à noite há sempre uma brisa! bjs

Poetic GIRL said...

Patty: Pois desta vez vi mesmo de perto, confesso que não estava à espera. um ou outro que se levante é uma coisa, agora muita gente... bjs

Poetic GIRL said...

Pinguim: Sim acredito que a maior parte não deve saber mesmo ao que vai... bjs

Poetic GIRL said...

Ana: Recebi o teu comentário mas o raio não me aparece aqui... não sei que se passou. Então também andas--te por lá, que achas-te da peça? Hoje vou novamente. bjs

Isabel said...

É verdade. Totalmente verdade. Enquanto as pessoas não colocarem o preconceito de lado, pelo menos na arte, jamais deixarão de ser mediocres na própria vida!