Pages

Thursday, September 16, 2010

Não esquecer


"Mas a verdade é que tanta gente se esquece deste pequeno pormenor. Acho piada a criticar-se as escolhas dos outros, quando elas mesmas não tiveram coragem de fazer da vida delas algo melhor. É triste muito triste, por isso para essas pessoas respondo com indiferença... Bela"

P.S. Porque não aceitam simplesmente que algumas vidas não foram talhadas para seguir os trâmites que a sociedade impõe? Nunca gostei que me fosse imposto nada, muito menos agora.

11 comments:

Maria said...

A isso chamo eu de inveja.


Beijinho

Petra Pink said...

indiferença mesmo minha querida, acima de tudo sermos felizes com a vida que escolhemos. um beijo

Paula said...

Tens toda a razão... com a escolha de cada um, que cada um viva com as consequências dessas mesmas escolhas!
A isso se chama maldade e inveja pela vida dos outros... em vez de olharem para dentro!

Beijinhos doces***

Anjo De Cor said...

Concordo ctg tb nunca gostei de nada talhado ou imposto, não ligues, é o melhor ;)
Bjs*

A.Menina said...

Também nao sou nada nada adepta de regras, apesar de saber que sem elas isto seria uma anarquia total e absoluta, mas epa não me obriguem a fazer o que eu nao quero.

Gi said...

Eu bem tenho pensado sobre isso, sobre o quanto mudar pode ser crescimento, sobre quanto a crítica pode ser construtiva... Tenho pensado seriamente...

beijo, beijo, beijo

guida said...

É mesmo, tens razão! Vemos tanto isso hoje em dia!

Libelinha☆ said...

Só a legenda da imagem diz muito, hehehe!... E como eu sei o que isso é!... Sempre escolhi caminhos para o meu "sucesso" por caminhos pouco ortodoxos!...

Ser Palhaça Malabarista para muitos nem sequer é um trabalho... Artesã também não!... Mas a minha teimosia sempre me levou a seguir o que tanto gosto!...

Beijinhos ;P

Brown Eyes said...

Linda conta lá que te quiseram impôr? Manda-os dar uma voltinha. Beijinhos

Fragmentos Culturais said...

... nunca 'repares' no que dizem! Vive como quem gosta de ti :)

Beijinho
(tem sido difícil, muitas coisa, boa, sim, mas stressante! Estou de volta)

caminhante said...

em país de doutores, há que ser doutor. senão, não se é nada. segundo a sociedade, eu já fui alguém, agora fui de "cavalo" para "burro". diz a sociedade. eu digo outra coisa: finalmente, sou feliz!!!

e é isso que me importa. mais nada.