Pages

Wednesday, January 5, 2011

Negro

"Receio esses corações negros que co-habitam conosco. Corações pesados, repletos de rancor e mágoa. O meu coração, singelo e doce, oprime-se perante tanta maldade. Finjo indiferença, finjo que não me afectam, mas na realidade sou temente à maldade que cresce dentro deles. Há quem os desculpe com as vicissitudes da vida, há quem os defenda serem fruto das circunstâncias que os rodeiam. Mas poderá se justificar a maldade? Corações desses espalham o mal, semeiam a discórdia, contaminam o ambiente. Só me apetece fugir de corações assim, que não sabem o valor do amor, da amizade, corações fechados, envoltos em camadas de frieza e crueldade. E há muitos corações assim, às vezes nem fazemos ideia do quão próximo de nós podem estar. Às vezes sentam-se ao nosso lado, comungam da nossa boa vontade, tentam iludir-nos, mas essa ilusão é vã, mais cedo ou mais tarde a máscara cai, desnudam-se perante os outros e condenam-se a uma vida de solidão. " Bela

5 comments:

BS of Life said...

Palavrinhas para ti no meu blog. *

Maria said...

É verdade, Bela.
E conheço alguns que sofrem pelo mal que lhes fazem, mas não o demonstram.
Hoje mesmo falei disso.
Beijinho

Petra Pink said...

corações desses deviam ter um infarte.......

caminhante said...

eu não acredito em pessoas más ou corações negros. acredito que existam pessoas que devem ter passado por muito até chegarem onde chegaram. e, agora, não sabem como voltar ou nem sequer sabem que se pode voltar...

[pelo menos, gosto de acreditar que assim é]

bjinho :)

Brown Eyes said...

Aqui temos o contrário do post posterior. Destes nem pena consigo ter. Beijinhos