Pages

Friday, June 17, 2011

O quanto vale uma palavra?

O quanto vale uma palavra? Vale pelo significado inerente a ela mesma, vale pela razão de vizinhança que tem com outros vocábulos? Uma palavra tem o valor que lhe quisermos dar consoante o contexto onde o discurso oral ou escrito a insere. Cresci a dar valor à palavra. A expressão "dou a minha palavra" tão comum aqui no norte era uma espécie de código de honra. Constato agora com tristeza que já ninguém dá valor à palavra. Prometem o que não vão cumprir, estabelece-se prazos que não são cumpridos, encosta-se para um canto virtual o que a boca proferiu. Era uma questão de ética, era uma questão de compromisso e cumpria-se. Hoje em dia já ninguém dá valor à palavra, saem cuspidas das bocas aleatoriamente, como se nem ficasse o registo delas na consciência de quem as proferiu. Dantes davamos a nossa palavra e ela tinha valor... e hoje quanto vale a nossa palavra?

7 comments:

Eva Gonçalves said...

Eu dou valor à palavra... à minha. :) Infelizmente, há muito que deixei de dar valor à dos outros... exactamente pelo que dizes. Beijinhos

Petra said...

Depois de ler esta tua reflexão.... Penso que realmente muita coisa mudou.... E sim tens toda a razão querida.

pinguim said...

Hoje nem sequer se respeita o que está acordado por escrito, quanto mais aquilo que apenas fica registado pelo respeito mútuo à palavra dada...

Pérola Negra said...

Muito bem dito! Eu penso exactamente o mesmo... Pouca gente dá valor à palavra e com isso também ao compromisso. Eu continuo a dar valor e a cumprir o que digo. Caso contrário, quem poderá confiar e acreditar em nós?

Beijo grande querida

Gi_Corrêa said...

Eu tenho a ingenuidade de acreditar. Dou minha palavra, faço das tripas coração para cumpri-la, mas não vejo nos outros a mesma dedicação. Fica tudo no dito pelo não não dito, vou fazer, mas pode ser que não... o tempo passa e observo que a segunda opção levou a melhor. Uma pena que a honra tenha sido jogada fora juntamente com outros conceitos perdidos...

beijo, beijo, beijo

Pingalouca said...

"sou um homem de palavra! - Disse ele. Será? "
Bem, o que está aqui em causa não são as palavras, mas, as pessoas que as proferem. Cada vez mais o ser humano revela insegurança nos seus actos e isso reflecte-se nas palavras. Sou uma pessoa que continua a dar crédito à palavra, mas, a desacreditar as pessoas que as proferem!

Cordialmente,

Rg

Vera, a Loira said...

E a essas pessoas dava-se o devido valor aos "Homens de palavra".


Um beijo enorme querida, também gostei muito.