Pages

Tuesday, September 13, 2011

Leituras e Conclusões

Sempre fui seduzida por histórias de mulheres, que de forma real ou imaginada por um qualquer autor,  são capazes de marcar uma época, enaltecer o que temos ainda de melhor dentro de nós. E esse melhor transcende o físico, é algo que não é visto a olho nu mas cujas proporções podem fazer o mundo girar. Todos conhecemos exemplos desses, sempre os houve, espero que sempre os haja. 
Neste meu período de férias deixei-me seduzir pela escrita de Ken Follett, nunca antes tinha lido nada dele. Fizeram-me companhia o "Pillars of the Earth" e o "World without End" e em ambos vejo de forma tão bela, o retrato de uma geração de mulheres muito diferentes de nós. Mulheres cujo lugar era apenas destinado a ser a submissão aos pais, e posteriormente aos maridos. Mas Ken encontrou uma forma de através das suas palavras enaltecer a força destas mulheres, que mesmo sofrendo os horrores de uma vida em plena idade média, conseguiram mudar o mundo que as rodeava. 
É esta garra que vejo ali retratada em parágrafos, a seguir a parágrafos. É esta garra mesmo tantos séculos depois vejo ausente em tantas almas, e o enaltecer deste seres femininos que a meu ver só temos a aprender com elas, cai por terra quando a nossa vizinha do lado sofre de atrocidades que afinal não são tão idade média assim. A verdade é que hoje em dia julgámos que somos todos muito evoluídos, muito instruídos, mas continuámos à mercê do ideal de que uma vez submissas no passado, submissas para sempre. E eu pergunto-me será que vale a pena?


Obviamente que recomendo as duas obras. E neste momento não conseguiria dizer qual das duas mais gostei. São ambas fenomenais, vale a pena a leitura.

7 comments:

Malena said...

Fiquei curiosa... :)

Eva Gonçalves said...

Não li o Pillars of the Earth mas vi a mini série e adorei... lembro-me de várias personagens femininas que eram tudo menos submissas... já se sabe que lida uma obra é totalmente diferente... :)Em relação à pergunta,não percebi. Se vale a pena continuarmos a acreditar que somos submissas?Ou se vale a pena nos iludirmos que não somos? Penso que nem somos... no ocidente, pelo menos o que somos, é sábias e conciliadoras... :) totally differente, :) beijo

Petra said...

Vou investigar! fiquei curiosa agora beijo amiga.

Gi_Corrêa said...

Não sei, quem sabe meu pensamento seja demasiadamente radical e só sabe o que é ser submissa, aquele que vive desta forma, mas fico a pensar que nos deixamos estar nesta situação, baixamos a cabeça para evitar as batalhas e deixamos que nos usem como capachos... Não é algo apenas relacionado aos gêneros mas a falta de força que pode estar, como falado, nas esposas que se deixam humilhar e pisar, mas também na sociedade de uma maneira geral. As vezes é preciso gritar que não gosta, bater o pé e seguir por outro caminho. Acho lindo que façamos o bem à outros, mas uma pessoa boa não é sinônimo de ser uma pessoa burra, que se deixa usar... Não sei, quem sabe seja minha rebeldia falando alto demais, mas me revolto com a falta de opinião e o medo de ser você mesmo...

Mas me instigou a vontade de querer lê-los...
Abraços amiga.

Brown Eyes said...

Vou tentar ler. Deixaste-me curiosa. Beijinhos

pinguim said...

Estou como a Eva.
Não li o "Pillars of the Earth",mas tenho cá a série completa para ver com calma.

Gabriela... said...

Ken Follet está na minha lista de escritores, adorei a série dos "Pilares da Terra"!
Hoje quando abri o jornal deparei-me com mais uma noticia sobre violência doméstica e quantas mulheres morrem anualmente às mãos dos seus companheiros.
É como dizes, vivemos num suposto mundo instruido onde as atrocidades praticadas nas mulheres são do século passado.
Jinho